Os municípios de Niterói, Rio de Janeiro, Maricá e Itaguaí anunciaram, na tarde desta quinta-feira (1), um calendário conjunto de vacinação para Covid-19. A programação prevê a imunização seguindo grupos prioritários por idade, segundo parâmetros do Plano Nacional de Imunização e levando em consideração as necessidades dos municípios. A expectativa é que no dia 26 de abril todos os idosos com idade acima de 60 já tenham sido vacinados e, a partir desta data, as prefeituras continuem a vacinação trabalhando com pessoas de 59 a 45 anos de oito grupos prioritários. 

Os grupos que serão priorizados são: pessoas com comorbidade, pessoas com deficiência permanente, desde que apresentem comprovação por meio de atestado médico; trabalhadores da saúde que ainda não se vacinaram, trabalhadores de educação, trabalhadores de serviço de limpeza urbana, policiais militares, policiais civis, bombeiros, guardas municipais e agentes penitenciários. Para que todos esses profissionais sejam imunizados será necessário que comprovem que estão em atividade.

Na próxima segunda-feira (5), a Secretaria de Saúde de Niterói irá divulgar um novo calendário de vacinação para idosos de até 60 anos para que todos estejam imunizados até o dia 26. Anteriormente, este calendário seguiria até o dia 1 de maio.

Durante coletiva na tarde desta quinta-feira, o prefeito de Niterói, Axel Grael, enfatizou que é preciso uma maior integração para conseguir mais eficiência neste enorme desafio que é o enfrentamento desta pandemia. Também participaram o prefeito do Rio, Eduardo Paes, de Maricá, Fabiano Horta, e de Itaguaí, Rubem Vieira.

“Os municípios precisam trabalhar juntos e, também, em parceria com o Governo do Estado. Há algumas semanas, procurei o prefeito do Rio, Eduardo Paes, para integrar as ações de Niterói com as ações do Rio. A gente sabia que precisava tomar medidas que protegessem a nossa cidade, já que não adiantava fazer isso senão tivéssemos essa forma integrada. Nós temos vários exemplos de um município ter um critério diferente do outro, o que acaba gerando um fluxo de pessoas para a cidade  vizinha. Isso aconteceu em Itaguaí e no caso de Niterói e São Gonçalo também”, disse Axel Grael.